Publicidade

Excesso de tempo em frente às telas é o novo alerta do movimento Obesidade Infantil NÃO, da Amil

Assinada pela Artplan, campanha usa informações relevantes para chamar atenção sobre o excesso de tempo gasto com equipamentos eletrônicos, o que pode prejudicar a saúde

FICHA TÉCNICA

Para chamar atenção sobre o sedentarismo relacionado ao excesso de horas diante das telas digitais, a nova fase do movimento Obesidade Infantil NÃO, da Amil, começa na segunda-feira (22/1), apostando na informação. Desenvolvida pela agência Artplan, a campanha alerta que, nos primeiros 18 anos de vida, passa-se um tempo equivalente a três anos em frente às telas, segundo pesquisa do psicólogo britânico Aric Sigman.





Essa nova fase é composta por peças para mídias exterior e interior, digital, cinema e TV fechada. No vídeo, crianças brincam de bicicleta, bola, patins e skate, mas estão confinadas dentro das telas de seus tabletssmartphones e TVs. A campanha conta ainda com um site (obesidadeinfantilnao.com.br) com exemplos de brincadeiras, orientações médicas sobre alimentação e dicas de atividades físicas.

“O tempo exagerado que as crianças passam à frente das telas pode ser o tempo de que a obesidade infantil precisa para se instalar. Não podemos dar esse tempo para um problema tão grave”, aponta Odete Freitas, pediatra e diretora de Sustentabilidade da Amil.

“Estamos no quinto ano do Obesidade Infantil NÃO, junto à Amil. O movimento começou como um alerta a esse sério problema e vem evoluindo a cada ano, assim como sua plataforma de comunicação. Neste ano, o objetivo da campanha é alertar os pais, de forma surpreendente, sobre a necessidade do uso consciente desses equipamentos pelas crianças. ”, afirma Cristiana Miranda, diretora de Contas da Artplan.

Publicado em: 24 de Janeiro de 2018